Implantes CM
Esteticamente simples

Desenvolvemos a nossa linha de implantes Cone Morse combinando um conjunto de benefícios para oferecer aos dentistas uma opção completa que confiamos ser uma obra-prima fenomenal. Quando você pensa em um implante para proporcionar um excelente tratamento para os seus pacientes, a linha CM é uma solução perfeita.

  • Soluções

    Facilidade para seguir o fluxo de trabalho do tratamento, kit cirúrgico compacto e um portfólio versátil de próteses.    

  • Eficiência

    Procedimentos e protocolos de perfuração mais curtos.

  • Acessibilidade econômica

    Potencial para atrair mais pacientes.

  • Segurança

    Conexão Cone Morse para crestal da crista óssea e vedação contra bactérias.

  • Superfícies

    Disponível com superfície Acqua e NeoPoros.

  • Soluções

    Fluxos de trabalho digitais e cirurgia guiada para suporte.    

  • Tranquilidade

    Garantia vitalícia.*

    *Garantia vitalícia apenas para os implantes.  

Características dos implantes

Implantes que resultam em
novos sorrisos todos os dias

A linha de implantes Cone Morse da Neodent une conceitos avançados de engenharia, experiência, e sucesso clínico, criando soluções inovadoras e completas para você e seu paciente. Isso significa que cada tratamento realizado com implantes CM resulta não só em um trabalho de excelência, mas, principalmente, em novos sorrisos todos os dias.

Simplicidade protética para um resultado mais estético

- O conceito platform switching da Neodent comprovou estabilidade óssea, preservando o tecido peri-implantar
- Adaptação protética única que oferece extrema flexibilidade na seleção de intermediários retos, angulados, parafusados ou cimentados, independentemente do diâmetro do implante.
- Buscando melhores resultados, uma ampla gama de bases de titânio esta disponível para casos unitários
- Única plataforma para trazer mais simplicidade

Excepcional estabilidade mecânica pilar-implante da interface Cone Morse

- A grande área de contato da interface CM oferece maior resistência que outras conexões internas
- A interface cônica proporciona melhor resultado em relação à estabilidade do pilar
- A interface CM é desenhada para prevenir a colonização bacteriana no implante

Drive CM
Alta estabilidade primária

Especialmente indicado para obter melhor estabilidade primária, o implante Drive CM possui forma cônica, e seu desenho de roscas fazem dele particularmente indicado para ossos tipo III e IV, instalação imediata pós-extração, e carga imediata.

Micro espiras na porção cervical do implante
Núcleo central cônico
Roscas duplas com passo de 1,1 mm

Ápice arredondado protegendo estruturas anatômicas
Câmaras de corte reversas distribuídas ao longo de todo o corpo do implante
Rosca final ativa

Alvim CM
Uma solução para todas as suas necessidades

Os implantes Alvim CM possuem corpo cônico que otimizam a obtenção de estabilidade primária, tornando-os indicados para ossos do tipo III e IV e alvéolos pós-extração

Roscas trapezoidais compactantes
Corpo cônico
Câmaras apicais que otimizam a estabilidade secundária
Roscas duplas trapezoidais com passo de 0,7mm (em média)
O uso do macho de rosca Alvim amplifica sua indicação para ossos tipo I e II.

Titamax CM
Flexibilidade para seus casos

Titamax Cortical

Os implantes Titamax CM possuem corpo cilíndrico autorrosqueável, e graças ao alto poder de corte apical, são indicados principalmente para ossos do tipo I e II.

Titamax Ex

O desenho cilíndrico-cônico e a alta capacidade de expansão óssea do implante Titamax CM EX fazem dele uma solução indicada para ossos tipo III e IV, desenhado para subinstrumentação, atingindo altos níveis de estabilidade primária

Conheça a ampla gama de soluções protéticas

Várias opções protéticas e uma conexão protética para mais simplicidade.

O conceito platform switching da Neodent tem provado preservar o nível ósseo que suporta o tecido peri-implante.

Conexão protética exclusiva que permite manejar um portfólio de próteses únicas, independentemente do diâmetro do implante.

A linha de implante CM oferece uma grande variedade de opções de restauração (reta, angulada, aparafusada ou cimentada), bem como uma gama completa de pilares de base de titânio
 

  • Pilar CM

    Próteses unitárias aparafusadas
    Espaço mínimo interoclusal de 5,0 mm a partir do nível da mucosa

  • Micro Pilar Cônico CM

    Próteses múltiplas aparafusadas
    Espaço mínimo interoclusal de 3,5 mm a partir do nível da mucosa.
    Recomendado para implantes CM próximos uns aos outros

  • Base de titânio CM

    Restaurações aparafusadas ou cimentadas

  • Base de Titânio CM para CEREC®

    Restaurações aparafusadas ou cimentadas
    Espaço mínimo interoclusal de 5,0 mm a partir do nível da mucosa

  • Base de Titânio CM para CADCAM

    Restauração aparafusada ou cimentada

  • Munhão Universal CM

    Restaurações unitárias cimentadas.
    Próteses unitárias cimentadas.
    Recomendado para a área anterior.

  • Munhão Peek Pro CM

    Restaurações provisórias
    Polímero biocompatível de fácil customização em boca.

  • Munhão anatômico CM

    Restaurações unitárias cimentadas
    Recomendado para a área anterior

  • Mini Pilar Cônico CM

    Restaurações múltiplas aparafusadas
    Espaço mínimo interoclusal de 4,4 mm a partir do nível da mucosa para pilares retos

  • Attachment Equator CM

    Restauração removível
    Recomenda-se a captura em boca, um pilar de cada vez
    O Attachment Equator permite uma angulação de até 30°entre dois implantes

Downloads

Folhetos

Nenhum recurso encontrado.
Ver todos os recursos...

Catálogo

Catálogo 2019

Catalogo de Produtos 2019
020.0021_pd_pt_br_B_01_lr_130519 13.05.2019 PDF, 21 MB Download
Ver todos os recursos...

Manuais

Nenhum recurso encontrado.
Ver todos os recursos...

Referências

• Estudo clínico retrospectivo grande: 2.244 implantes instalados em mais de 400 pacientes.(1)
• Taxa de sobrevivência elevada no longo prazo: 99,7% após até 5 anos. (1)
• Nenhuma perda precoce de implantes foi observada neste estudo.(1)
• Alta previsibilidade nas restaurações de arcada completa (4 a 6 ou mais na maxila e 4 ou 5 na mandíbula) mesmo com implantes inclinados.(1)

1. Sartori IAM, Latenek RT, Budel LA, Thomé G, Bernardes SR, Tiossi R. Retrospective analysis of 2,244 nimplants and the importance of follow-up in implantology. Journal of Research in Dentistry. 2014 Nov- Dez;2(6):555-564.
2. Martin C, Thomé G, Melo AC, Fontão FN. Peri-implant bone response following immediate implants placed in the esthetic zone and with immediate provisionalization-a case series study. Oral Maxillofac Surg. 2015 Jun;19(2):157-63.
3. Barros RR, Novaes AB Jr, Muglia VA, Lezzi G, Piattelli A. Influence of interimplant distances and placement depth on peri-implant bone remodeling of adjacent and immediately loaded Morse cone connection implants: a histomorphometric study in dogs. Clin Oral Implants Res. 2010;21(4):371-8.
4. Castro DS, Araujo MA, Benfatti CA, Araujo Cdos R, Piattelli A, Perrotti V, et al. Comparative histological and histomorphometrical evaluation of marginal bone resorption around external hexagon and Morse cone implants: an experimental study in dogs. Implant Dent. 2014;23(3):270-6.
5. Novaes AB Jr, Barros RR, Muglia VA, Borges GJ. Influence of interimplant distances and placement depth on papilla formation and crestal resorption: a clinical and radiographic study in dogs. J Oral Implantol. 2009;35(1):18-27.
6. Siqueira RAC. Avaliação do índice de sucesso e comportamento dos tecidos periimplantares de implantes cone morse equicrestais ou subcrestais em arcos inferiores. [dissertação de mestrado na internet]. [Curitiba(Brazil)]: ILAPEO; 2013. [citado em 28 out 2015] 126p. Disponível em: http://www.ilapeo.com.br/ Monografias_e_Dissertacoes/Dissertacoes_turma2011/Rafael_Amorin_Cavalcanti_de_Siqueira.pdf
7. Sotto-Maior BS, Lima Cde A, Senna PM, Camargos Gde V, Del Bel Cury AA. Biomechanical evaluation of subcrestal dental implants with different bone anchorages. Braz Oral Res. 2014;28.
8. Coppedê AR, Bersani E, Chiarello de Mattos MG, Rodrigues RCS, Sartori IAM, Ribeiro RF. Fracture  resistance of the implant-abutment connection in implants with internal hex and internal conical connections under oblique compressive loading: an in vitro study. Int J Prosthodont. 2009 May-Jun;22(3):283-6.
9. Bernardes SR, da Gloria Chiarello de Mattos M, Hobkirk J, Ribeiro RF. Loss of preload in screwed implant joints as a function of time and tightening/untightening sequences. Int J Oral Maxillofac Implants. 2014 Jan-Feb;29(1):89-96.
10. Jorge JR, Barao VA, Delben JA, Assuncao WG. The role of implant/abutment system on torque maintenance of retention screws and vertical misfit of implant-supported crowns before and after mechanical cycling. Int J Oral Maxillofac Implants. 2013 Mar-Apr;28(2):415-22.
11. dos Anjos CM, Harari ND, Reis RSA, Vidigal Junior GM. Análise in vitro da infiltração bacteriana na interface de pilares protéticos e implantes cone-morse / In vitro analysis of bacterial leakage at the interface between Morse taper implant platform and prosthetic abutments. ImplantNews. 2011 8(2):239- 243.
12. Sartoretto SC, Alves AT, Resende RF, Calasans-Maia J, Granjeiro JM, Calasans-Maia MD. Early osseointegration driven by the surface chemistry and wettability of dental implants. J Appl Oral Sci. 2015. May-Jun;23(3):279-87.
13. da Silveira BM. Análises tomográfica, microtomográfica e histológica entre enxertos em bloco autógeno e xenógeno nas reconstruções ósseas de maxila. [dissertação de mestrado na internet].[Curitiba (Brasil)]: ILAPEO; 2013. [citado em 15 jun 2014] 133p. Disponível em: http://www.ilapeo.com.br/biblioteca-detalhe/ tomographic-microtomographic-and-histological-analysis-between-grafts-in-autogenous-andxenogeneic-- C162410.html
14. Mendonça G, Mendonça BD, Oliveira SL, Araujo AC. Efeitos da diferenciação de células-tronco mesenquimais humanas sobre superfícies de implantes hidrofílicas. ImplantNews. 2013 Nov-Dez 10(6a):111-116.